hidrocefalia

Hidrocefalia. O que é? Como é feito seu tratamento?

Muitos não sabem, mas o nosso cérebro e medula estão mergulhados num líquido chamado líquor, um fluido transparente, muito parecido com água, que ajuda na sustentação e proteção do sistema nervoso central, entre outras funções. Cerca de 500ml de líquor são produzidos e absorvidos diariamente por um adulto saudável. O volume total de líquor contido em um dado momento no sistema nervoso é de cerca de 150ml no adulto, e cerca de 50ml num recém-nascido, por exemplo.

O cérebro não é uma massa gelatinosa uniforme. Dentro dele se localizam também os ventrículos, cavidades cheias de líquor. Este líquor é primariamente produzido dentro dos ventrículos, numa estrutura vascular chamada de plexo coróide.

Quando a circulação do líquor fica comprometida – seja por obstrução em algum ponto específico, por falta de absorção ou, mais raramente, excesso de produção – ele se acumula, causando a Hidrocefalia, doença que leva ao aumento do da pressão e tamanho dos ventrículos.

hidrocefalia

As crianças pequenas (menores de 2 anos) são frequentemente acometidas por essa doença, causada principalmente por malformações congênitas, infecções ou hemorragias intrauterinas. Nessas crianças a hidrocefalia se manifesta principalmente pelo aumento desproporcional do tamanho da cabeça, por que as fontanelas, ou “moleiras”, ainda não estão fechadas, permitindo assim o crescimento da cabeça causado pelo aumento da pressão dentro do crânio. Por isso as medições e acompanhamento do tamanho da cabeça são muito importantes nas consultas com o pediatra.

Quais são os sintomas da Hidrocefalia?

Como vimos anteriormente, a hidrocefalia em crianças pequenas manifesta-se principalmente pelo aumento desproporcional do tamanho da cabeça. Em crianças mais velhas, além do aumento do tamanho da cabeça, pode aparecer também dor de cabeça (geralmente pela manhã), enjôos e vômitos, sonolência, falta de apetite e, nos casos graves, olhos fixos para baixo.

Adultos também podem ter Hidrocefalia?

Sim, a hidrocefalia pode ocorrer nos adultos após infecções do sistema nervoso central, como na meningite, e após traumatismo grave do crânio. Tumores cerebrais também podem levar a hidrocefalia por obstrução da circulação do líquor.

Nos idosos pode ocorrer uma forma especial de hidrocefalia, a Hidrocefalia de Pressão Normal. Essa doença, de causa ainda não bem estabelecida, leva a aumentos intermitentes na pressão intracraniana do idoso, levando a sintomas de dificuldade no andar (com uma forma de andar com passos curtos parecida com a marcha da Doença de Parkinson, com extrema dificuldade em se realizar uma “meia-volta”), incontinência urinária e alterações cognitivas como dificuldade de memória e confusão mental.

Como é diagnosticada a Hidrocefalia? Quais exames são necessários?

Em crianças pequenas e recém-nascidos, a ultrassonografia transfontanela é um método prático e barato para o diagnósico da hidrocefalia.

A tomografia computadorizada é o exame de imagem mais frequentemente utilizado no diagnóstico da hidrocefalia. Pode ser realizado em qualquer idade, mas a radiação ionizante inerente ao exame pode ser prejudicial às crianças muito pequenas, e deve ser realizada com parcimônia nestas.

A ressonância magnética é um exame de imagem mais detalhado – e mais caro – feito geralmente de forma complementar para se investigar a causa da hidrocefalia.

A punção lombar, exame em que o líquor da coluna lombar pode ser coletado para análise e sua pressão medida diretamente, pode ser utilizada para diagnóstico em alguns casos, principalmente na hidrocefalia do idoso.

Como é feito o tratamento da Hidrocefalia?

A hidrocefalia deve ser tratada por cirurgia.

Existem duas formas principais de cirurgia para tratamento da hidrocefalia:

  • Um desvio ou derivação pode ser realizado para drenar o excesso de líquor da cabeça para outra parte do corpo, geralmente abdome, com o implante de um sistema de drenagem com válvula, num procedimento chamado de derivação ventrículo-peritoneal (DVP). O sistema de drenagem fica por baixo da pele e nada fica à mostra. São feitas incisões na cabeça e no abdome para o procedimento.
  • Uma endoscopia cerebral pode ser realizada para criar uma comunicação entre estruturas cerebrais que facilitam a drenagem do excesso de líquor dentro do próprio cérebro. Um procedimento chamado de terceiro ventriculsotomia endoscópica. Trata-se de uma cirurgia minimamente invasiva e com a vantagem de não necessitar de próteses como na DVP. Este procedimento é realizado quase exclusivamente nas hidrocefalias por obstrução da circulação liquórica.

Quais são as consequências da Hidrocefalia?

A hidrocefalia crônica, quando não tratada adequadamente, pode levar a retardo cognitivo no adulto, e retardo no desenvolvimento neuropsicomotor da criança. Quando a hidrocefalia se instala de maneira mais rápida pode haver risco de vida e a assistencia médica rápida é essencial para preservar a vida nessas situações.

Epilepsia e crises convulsivas também são frequentes em pacientes com hidrocefalia.

Nos pacientes tratados com derivação (DVP), problemas com a válvula e sistema de drenagem liquórica podem acontecer, necessitando de atenção médica frequente.

 

Este texto não tem a pretensão de substituir nenhuma recomendação médica. A melhor maneira de o paciente esclarecer suas dúvidas é sempre conversando com seu médico.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.